Diretora e ex-sócios têm multa maior que a de Valério

As dificuldades do Supremo Tribunal Federal para fixar critérios de aplicação das penas no processo do mensalão levaram a Corte a punir uma funcionária do empresário Marcos Valério e seus ex-sócios com multa maior que a do "operador" do esquema.Os ministros já admitem rever esse item no fim do julgamento.

O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2012 | 02h05

O próprio STF reconheceu que Simone Vasconcelos, ex-diretora financeira, agiu a mando de Valério. Mas, ao aplicar a multa por corrupção pela compra de apoio político, os ministros multaram Simone em cerca de R$ 143 mil - Valério foi punido em R$ 78 mil. Discrepância maior ocorreu com os ex-sócios Ramon Hollerbach e Cristiano Paz, que receberam pena de R$ 468 mil cada.

A diferença foi ainda maior no crime de lavagem de dinheiro. Valério foi punido com multa de R$ 52 mil, mas os ex-sócios terão de pagar R$ 431 mil cada.

As distorções ocorreram porque a tese do revisor, Ricardo Lewandowski, venceu a do relator, Joaquim Barbosa, na análise relativa a Valério. Nos embates posteriores, o relator reduziu as penas de prisão dos outros réus, mas não as multas, e venceu o debate no plenário. / E.B. e R.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.