Direção petista sela candidatura de Patrus em BH

Ex-ministro cobrou e recebeu o aval de Dilma e de Lula; presidente do PT descartou novo acordo com Lacerda, do PSB, alegando que partido não é 'subalterno'

DAIENE CARDOSO, AGÊNCIA ESTADO, O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2012 | 03h06

Com o aval da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a Executiva Nacional do PT indicou ontem o ex-ministro Patrus Ananias para concorrer à Prefeitura de Belo Horizonte.

O nome de Patrus deverá ser referendado por uma comissão formada pelo atual vice-prefeito Roberto Carvalho e pelo deputado federal Miguel Correa Júnior, que chegou a ser indicado pelo PT para ser vice na chapa do prefeito Marcio Lacerda (PSB), candidato à reeleição.

Após a reunião, na sede do partido em São Paulo, o presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão, disse que o vice-presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, chegou a pedir um tempo para reverter a decisão de Lacerda - que rompeu o acordo com o PT na capital mineira em favor do PSDB. "Não podemos ficar na expectativa do que eles vão fazer. O PT não é um partido subalterno", reagiu Falcão.

Em seu entender, o acordo entre PT e PSB em Belo Horizonte foi "rasgado unilateralmente" por Lacerda e rompimento de acordo em política "é uma coisa gravíssima". Falcão elogiou a disposição de Roberto Carvalho de buscar uma candidatura própria. "Ele sempre defendeu a candidatura própria, argumentando que o prefeito Marcio Lacerda poderia, a qualquer momento, nos surpreender. Temos de reconhecer hoje que o Roberto Carvalho, neste aspecto, tinha razão."

Falcão disse que não vê nos rompimentos entre PT e PSB em outras capitais um sinal de que o governador Eduardo Campos tenha projetos independentes do PT. "Não vejo nele nenhuma intenção de precipitar a sucessão de 2014 agora. Até porque ele tem dito que estará com a companheira Dilma em 2014", ponderou o presidente petista, ressaltando que o rompimento do PT em Belo Horizonte é com o Marcio Lacerda.

Vice. A partir de hoje, o PT pretende conversar com os partidos da base do governo federal para definir o vice de Patrus. Embora o PMDB já tenha candidato e o PDT esteja com ele coligado, os petistas acreditam que podem atrair esses partidos para a nova chapa. "Assim como se criou um quadro novo a partir do rompimento do acordo com Lacerda, essa movimentação toda pode criar uma nova realidade em Belo Horizonte", avisou Falcão.

Formalmente, o candidato do PT em Belo Horizonte é o atual vice-prefeito Roberto Carvalho, que fez anteontem o registro no TRE para garantir uma candidatura petista. Com o acerto de ontem, ele deve abrir mão da candidatura em favor de Patrus.

"Não tem mais volta, temos candidatura própria e estamos unidos para a disputa", avisou Correa Júnior. "Com o rompimento, o PT de Belo Horizonte está deixando a administração de Lacerda."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.