Dirceu se defende e diz que está sendo 'caluniado'

Citado por Cyonil Borges, ex-ministro lembrou caso em que ganhou processo por calúnia; PSDB quer convocá-lo

, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2012 | 02h07

Citado no depoimento que Cyonil Borges deu à Polícia Federal, o ex-ministro José Dirceu repudiou ontem a vinculação de seu nome ao caso e criticou o noticiário da imprensa, que, segundo ele, estaria interessada no "sucesso midiático do escândalo".

Anteontem, em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, Cyonil declarou que "uma hora ele (Paulo Vieira, diretor afastado da Agência Nacional de Águas) falava que o dinheiro vinha da empresa (Tecondi). Outra hora falava que era interesse do Dirceu, esse dinheiro adviria de José Dirceu." Em nota publicada no seu blog, o ex-ministro rebateu e voltou a dizer que se sente "caluniado".

No texto, Dirceu faz referência a outros inquéritos em que teve seu nome citado. "As investigações ainda estão em curso e meu nome já é escandalosamente noticiado como relacionado ao caso", escreveu o ex-ministro, que citou Francisco Daniel, irmão do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel, que o acusava de ser beneficiário do suposto esquema de caixa 2. Segundo Dirceu, ao ser processado, Francisco Daniel acabou se retratando em juízo.

Ainda ontem, o PSDB divulgou nota à imprensa em que pede que o Congresso Nacional convoque o ex-ministro para explicar as novas denúncias. O texto diz que o depoimento de Dirceu "seria muito mais eficiente do que seus discursos pretensamente ideológicos, que não explicam nada e visam apenas criar uma cortina de fumaça sobre os fatos"./ MARCIO DOLZAN, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.