Dilma Rousseff passa mal após debate do SBT

Dilma Rousseff passa mal após debate do SBT

Candidata do PT alegou uma queda de pressão enquanto respondia uma pergunta de uma repórter da emissora

O Estado de S. Paulo

16 de outubro de 2014 | 20h23

A presidente e candidata á reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, passou mal após o debate do SBT. Enquanto concedia uma entrevista após o encontro, a petista foi acometida, aparentemente, por uma queda de pressão. Acudida pelos assessores, tomou um suco de maracujá e se recuperou. Após se recompor e retomar a conversa com a repórter, Dilma comenta o mal estar e diz: "É assim que nós somos". Ao saber que seu tempo para falar havia se esgotado, a candidata afirma à repórter "Se é assim que você quer, assim será", sorrindo e de braços abertos.

"O debate sempre exige muito da gente", justificou Dilma, pedindo desculpas ao espectador que acompanhou a cena. Antes de passar mal, a candidata demonstrou dificuldade em responder sobre o debate, chegando a recomeçar sua fala antes de interromper devido ao mal-estar.  

Depois, em entrevista coletiva ainda no STB, a presidente explicou o episódio: “Quando caiu um pouquinho a minha pressão eu senti que ia cair, mas aí imediatamente eu dei uma esfregadinha nos meus pulsos e melhorou. Acho que foi quando levantei subitamente. Aí comi um chocolatinho e ficou tudo bem”, disse Dilma, lembrando do fato de o debate ter sido realizado com os dois candidatos sentados. “Eu gosto mais em pé. Não estava muito confortável e a cadeira, muito baixa.”

Uso eleitoral. Na internet, os adversários da petista colocaram em xeque a versão apresentada por ela sobre a queda de pressão. Os partidários de Aécio afirmaram que a presidente se confundiu no raciocínio e acabou “travando”. Do estúdio, os tucanos que assistiram ao debate se mobilizaram para ajudar a divulgar o vídeo em que a presidente interrompe a entrevista.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesDilma RousseffPTdebate

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.