'Dilma mal conhece São Paulo', afirma tucano

Mantendo foco no embate entre o PSDB e o PT na disputa eleitoral paulistana, o candidato tucano, José Serra, atacou ontem a entrada da presidente Dilma Rousseff na campanha do petista Fernando Haddad e a nomeação da senadora Marta Suplicy (PT) para o Ministério da Cultura.

O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2012 | 03h08

Após participar de um evento de campanha, o tucano disse que Dilma, um dos principais cabos eleitorais de Haddad, "mal conhece São Paulo" e tenta influenciar o eleitorado.

"Ela (Dilma) vem meter o bico em São Paulo, vem dizer para os paulistanos como é que eles devem votar. Não se pode impedir isso. Mas ela, que mal conhece São Paulo, vem aqui dar seu palpite", afirmou Serra.

A presidente entrou oficialmente na campanha de Haddad na última segunda-feira. Na propaganda eleitoral petista, Dilma diz que o candidato "é a pessoa certa para comandar a transformação de que São Paulo precisa".

O tucano também ironizou a nomeação, para um ministério, da senadora e ex-prefeita Marta Suplicy, que entrou na campanha de Haddad há duas semanas.

A equipe de Serra pretende insinuar que Dilma usou um cargo do alto escalão do governo federal para beneficiar a candidatura de Haddad.

"A Marta Suplicy fez três insultos a mim e ganhou um ministério. Isso mostra que me insultar vale bastante", disse o tucano.

Marta fez críticas públicas à candidatura de Serra e ao PSDB nos eventos de que participou ao lado de Haddad. Anteontem, chamou o tucano de "mentiroso" e de "rei da embromation".

Gestão Marta. Em outra peça publicitária, a campanha de Serra tenta colar a imagem de Haddad à gestão de Marta na Prefeitura de São Paulo (2001-2004). O candidato petista foi chefe de gabinete da Secretaria de Finanças em parte da administração petista. O locutor da propaganda liga Haddad à criação de taxas municipais e, depois, ao ex-ministro José Dirceu, réu do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal.

"Haddad largou a Prefeitura e pulou para o governo federal. Foi nomeado pelo Zé Dirceu. É isso o que você quer de novo?", pergunta um locutor. A propaganda exibe uma cópia do Diário Oficial da União de junho de 2003, quando Haddad foi nomeado para o cargo de assessor especial do Ministério do Planejamento. Dirceu assina a nomeação. / B.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.