Dilma ganha 'blindagem' em dia de desfile

A presidente Dilma Rousseff participou ontem das comemorações da Independência sob forte esquema de segurança. O temor era principalmente que, neste Sete de Setembro, funcionários da Polícia Federal e da Receita, ainda em greve, chegassem perto do palanque presidencial.

O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2012 | 03h02

Tapumes foram alinhados em toda a extensão da Esplanada, para que os protestos não pudessem ser percebidos. Comandada pelo Gabinete de Segurança Institucional, a blindagem impediu que a população ficasse perto dos palanques. Em uma das arquibancadas - bem longe de Dilma - militantes sindicais da PF ocuparam um espaço e dali gritaram acusações ao governo federal e vaiaram o desfile. Durante a cerimônia, duas ativistas do grupo Femen foram detidas. Sem blusa, com os seisos de fora, as mulheres conseguiram driblar a segurança e fizeram seu protesto por direitos das mulheres.

Dilma Rousseff chegou cedo ao local, em carro aberto, e às 9h13, o início do desfile foi autorizado. A determinação da presidente de reduzir o tempo da cerimônia foi atendido, mas, ainda assim, ultrapassou a hora prevista.

Marcha. A Marcha Contra a Corrupção, organizada por meio das redes sociais, reuniu ontem cerca de 8 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, segundo cálculo da Polícia Militar. No ano passado, quando ocorreu a primeira manifestação do gênero, havia cerca de 30 mil pessoas na Esplanada. / TÂNIA MONTEIRO E ALANA RIZZO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.