Dilma foge de Brasília para a festa de Marisa

Presidente foi convidada de honra no aniversário da ex-primeira-dama, organizado por Lula em SP

SONIA RACY E THAIS ARBEX , O Estado de S.Paulo

08 Abril 2013 | 02h09

A presidente Dilma Rousseff saiu discreta e sigilosamente de Brasília na noite de sábado para comemorar os 63 anos de Marisa Letícia em São Paulo. O Planalto apenas informara que a presidente teria uma "agenda privada".

Dilma e cinco ministros do governo participaram da festa surpresa que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva armou para sua mulher no restaurante Rodeio, nos Jardins, bairro nobre da capital.

A presidente chegou por volta das 21h30 ao local, permanecendo na festa por aproximadamente duas horas. Dilma estava num um Ômega prata - carro não oficial. O trajeto de Brasília a São Paulo foi feito em avião presidencial.

A presidente foi aplaudida ao entrar no salão e fez questão de cumprimentar um por um antes de se sentar entre Lula e Marisa. Entrou e foi embora pela porta dos fundos, que dava acesso direto à área reservada à festa. Era quase meia-noite. A assessoria de Dilma disse que ela embarcaria direto para Brasília.

Em uma semana, a festa foi o segundo evento secreto de Dilma. Na quinta-feira passada, ela também deixou a capital federal e reuniu-se com Lula, o ministro Aloizio Mercadante (Educação), o ex-ministro Antonio Palocci e o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, por sete horas no Hotel Unique, em São Paulo. O Planalto não informou o custo da diária e também, por se tratar de "agenda privada", não forneceu detalhes.

Lula tirou Marisa do apartamento em São Bernardo com a desculpa de que iriam a casa de um dos filhos. A festa reuniu 90 pessoas - acomodadas em 15 mesas - e foi regada a picanha e doses de whisky.

Entre os convidados estavam os ministros Edison Lobão (Minas e Energia), Marta Suplicy (Cultura), Alexandre Padilha (Saúde), Mercadante e Guido Mantega (Fazenda), além do cabeleireiro Wanderley Nunes e do médico do casal, Roberto Kalil. O prefeito Fernando Haddad e a família também prestigiaram Marisa. A lista foi feita por Lula. Os convidados insistiam em dizer que conversas políticas não entraram em pauta.

Padilha, que juntamente com Marta, Mercadante e Mantega é cotado para candidato do PT ao governo de São Paulo em 2014, foi um dos últimos a chegar. Como já era tarde, ficou só na saladinha. Dispensou a carne. O cardápio era livre e cada convidado podia pedir o que desejasse.

O presidente do PT, Rui Falcão, foi o primeiro a deixar a festa e não cantou o 'Parabéns a você' - que foi duplo. Mantega, que faz aniversário no mesmo dia que Marisa, ajudou a apagar as velinhas. Marisa se emocionou com a surpresa, principalmente quando viu o bolo, enfeitado com bonequinhos dela e de Lula pescando. A cesta do ex-presidente vazia, contrastando com a de Marisa cheia de peixes.

Mensalão. Lula e Marisa deixaram o restaurante de madrugada, com o carro lotado de presentes. Questionado por repórteres na saída sobre o pedido de investigação sobre seu suposto envolvimento com o mensalão, Lula fugiu da pergunta. "Foi surpresa", disse, referindo-se à festa. /COLABOROU GUSTAVO SANTOS FERREIRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.