Dilma diz que Neca Setubal mudou e está se comportando como banqueira

Dilma diz que Neca Setubal mudou e está se comportando como banqueira

Para petista, acionista do Banco Itaú não atua mais como educadora e que 'não dá para vestir duas roupas'

Tânia Monteiro e Ricardo Della Coletta, O Estado de S. Paulo

11 de setembro de 2014 | 19h06

A presidente Dilma Rousseff atacou Neca Setubal, a coordenadora do programa de governo da candidata do PSB, Marina Silva, e acionista do Banco Itaú, dizendo que ela não atua como educadora, como teria feito no passado, quando apoiou petistas, mas como banqueira. Para a presidente "o que mudou é que ela está se comportando como banqueira" e "não dá pra vestir as duas roupas, ou é uma ou é outra, ou uma é a roupa verdadeira, e a outra é fantasia".

Dilma respondia a uma pergunta do Broadcast Político sobre o que mudou no PT em relação a Neca Setubal, já que antes ela era tratada como educadora quando, há dois anos, apoiou a campanha de Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo e chegou a ser convidada para ser sua secretária de Educação, além de ter contribuído financeiramente para campanhas petistas, e agora é tratada, de forma pejorativa, como banqueira. "Neca educadora é a Neca educadora. Agora, na medida que eu sou herdeira do Banco Itaú e defendo uma política que beneficia claramente os bancos, que é a política de independência do Banco Central, de redução do papel dos bancos públicos, eu estou fazendo papel de banqueira e eu não estou falando sobre educação, sobre criança ou sobre creche", desabafou a presidente.

De acordo com a presidente Dilma, "independência no Brasil é considerada para poderes", e não se pode dar esta mesma independência para os bancos. "Quem são os 3 poderes independentes? O Executivo, o Legislativo e o Judiciário. Mais ninguém é independente no Brasil. Nenhum outro poder. Os bancos, dentro do Banco Central, não terão independência e não têm. Isso não é característica brasileira", disparou.

Segundo a presidente Dilma, na hora que Neca Setubal defende a independência dos bancos em relação ao Banco Central, ela não pode ser tratada como educadora, mas só como banqueira. "O que estou dizendo é que o que mudou é a atitude e a postura da pessoa (Neca). Nada mais mudou. Cada um de nós é o que é", atacou.

Em entrevista publicada no Estado nesta quinta-feira, Neca Setubal negou que o Banco Itaú tenha "bancado" Marina Silva e acusou a presidente Dilma de estar "baixando o nível" da campanha. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.