Dilma dispensa bolo em festa de 65 anos na Rússia

O tradicional bolo esteve ausente da comemoração dos 65 anos da presidente Dilma Rousseff, ontem, em Moscou. "Não, bolinho não tem, não. Bolinho engorda, gente", disse a presidente, em resposta a uma pergunta sobre a celebração de seu aniversário na capital russa, onde está em viagem oficial.

CLÁUDIA TREVISAN, ENVIADA ESPECIAL / MOSCOU, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2012 | 02h05

Dilma começou o dia enfrentando um frio de quase 15 graus negativos, em uma cerimônia ao ar livre no Túmulo do Soldado Desconhecido, do lado de fora das muralhas do Kremlin, sede do governo da Rússia. Em seguida, encerrou com um discurso o seminário que reuniu empresários russos e brasileiros em um hotel de Moscou e voltou ao Kremlin, onde passou toda a tarde.

A presidente se reuniu por mais de uma hora com o presidente russo, Vladimir Putin, com quem também teve um almoço de trabalho. Depois, os dois dirigentes participaram de cerimônia de assinaturas de sete atos entre os dois governos e leram suas respectivas declarações à imprensa - houve perguntas de jornalistas no Kremlin.

Cansaço. No fim da tarde, a presidente voltou ao hotel e deu uma entrevista coletiva. Quando os repórteres indagaram onde iria celebrar o aniversário, Dilma respondeu: "Eu vou sentar naquele quarto e descansar. Sabe o que é descansar? Eu estou extremamente cansada". Antes de desembarcar na Rússia, Dilma passou pela França.

A presidente havia celebrado seu aniversário antecipadamente na noite de anteontem, quando assistiu ao balé O Lago dos Cisnes no Bolshoi e jantou em um restaurante com o mesmo nome. À meia-noite, o grupo de pouco mais de dez pessoas que acompanhava a presidente cantou Parabéns a Você, acompanhado do pianista do restaurante, especializado em culinária russa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.