Dilma defende Marta no rádio e promete verba federal ao metrô

Ministra diz que recursos virão de financiamentos do BNDES e da Caixa e por isso não estão no Orçamento/2009

Bianca Pinto Lima, do estadao.com.br,

05 de setembro de 2008 | 08h56

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, participou nesta sexta-feira do programa eleitoral gratuito do rádio da candidata Marta Suplicy (PT) e afirmou que o governo federal pretende investir no transporte público de São Paulo, em especial no metrô - mesmo o item não estando no Orçamento de 2009. Segundo a ministra, os primeiros recursos investidos serão oriundos de financiamentos liberados via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Caixa Econômica Federal. Marta vinha sendo atacada pelos adversários por ter prometido a construção de 47 km de metrô com verba federal, apesar dos gastos não estarem previstos no Orçamento Geral da União do próximo ano. "Eu asseguro que o governo federal tem todo interesse na questão do transporte público em São Paulo", diz Dilma.   Veja também: Você vai acompanhar o horário eleitoral para definir seu candidato ?  Veja a íntegra da última pesquisa  Multimídia: Perfil dos candidatos  Guia tira dúvidas do eleitor    Já o atual prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), manteve os ataques à petista. "Parece que ela não lembra que quebrou a cidade e que o povo a reprovou", afirma o locutor. Kassab também ressaltou medidas de sua gestão, como a ampliação do bilhete único, que passou a valer por três horas e se estendeu ao metrô e ao trem. Ele ressaltou ainda que foi o primeiro prefeito em trinta anos que colocou dinheiro no metrô.   O programa do ex-governador e candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, teve como foco a saúde. Ele voltou a propor o projeto SIM (Saúde Integrada Municipal), que promete integrar todos os serviços da área e destacou a reforma do Hospital do Câncer. Alckmin também aproveitou para colar sua imagem em Serra. "Alckmin prefeito e José Serra governador. Juntos, eles podem fazer muito mais pela saúde", diz o locutor.   Paulo Maluf (PP) propôs a volta Plano de Atendimento à Saúde (PAS), marca de sua gestão quando prefeito da cidade, e a construção da Freeway - laje sobre os rios Pinheiros e Tietê para construir avenidas expressas.   Ciro Moura (PTC) acusou as pesquisas de intenção de voto e mídia de já terem escolhido um prefeito e pediu votos de protesto. Sonia Francine (PPS) defendeu investimentos no transporte público e a posterior implantação do pedágio urbano.   Já Renato Reichmann (PMN) falou sobre a abertura das escolas durante os finais de semana para o lazer da população. Ivan Valente (PSOL) afirmou que a solução para o trânsito é investir em transporte sobre trilhos. Já Edmilson Costa (PCB) defendeu a desapropriação de prédios abandonados para a criação de moradias populares. Levy Fidelix (PRTB) insistiu na construção do Aerotrem. E Anaí Caproni (PCO) não participou do horário eleitoral.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2008horário eleitoral

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.