Dilma culpa aliados por demora para aprovar DRU

A presidente Dilma Rousseff culpou os partidos da base aliada, especialmente PT e PMDB, pela demora na aprovação da emenda que prorroga a Desvinculação das Receitas da União (DRU) até 31 de dezembro de 2015. A queixa foi feita a políticos com os quais ela conversou ontem, no Palácio do Planalto, entre eles o governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT).

BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2011 | 03h03

A irritação de Dilma foi aumentada por um "erro regimental" cometido pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

"É bom não esquecer que estamos dentro de uma crise grave na economia mundial e, em um cenário de crise, não podemos correr riscos. A DRU é um importante instrumento do governo para se proteger dessa crise", disse a presidente a Déda, de acordo com relato do governador. Com a DRU, o governo poderá gastar R$ 62 bilhões por ano em investimentos, sem as amarras constitucionais.

A Marcelo Déda, Dilma chegou a dizer: "Misturaram Emenda 29, dinheiro para educação e DRU. Isso é um erro e só vai atrapalhar o País. É preciso desvincular uma coisa da outra, porque o País pode sair muito prejudicado." A outro interlocutor, a presidente foi mais longe: "Pior é que a culpa não é do PSDB. É de gente nossa, do PT e do PMDB." / JOÃO DOMINGOS e TÂNIA MONTEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.