Dilma ainda faz mistério sobre visita a Obama

Enquanto aguardava uma resposta dos EUA às denúncias de espionagem da Agência Nacional de Segurança americana sobre sua comunicação pessoal e a Petrobrás, a presidente Dilma Rousseff não informou se manteria a visita oficial de Estado a Washington em outubro. "Vou esperar agora a resposta do governo (americano). Quando eu souber, eu falo", disse, em rápida entrevista ao fim de uma visita ao estaleiro Inhaúma, no Rio, onde estão sendo feitas obras em uma plataforma para a Petrobrás.

Cláudia Trevisan, Sabrina Valle e Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2013 | 02h06

Questionada por jornalistas, limitou-se a confirmar viagem aos EUA para abrir a Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York, tradicionalmente inaugurada pelo presidente do Brasil. "O que tenho a dizer é que abro a Assembleia Geral da ONU."

Após dizer, semana passada, que o presidente americano Barack Obama deveria pedir desculpas à presidente Dilma, o ex-presidente Lula voltou ontem a criticar os EUA. "Pode o sr. Obama ficar bisbilhotando as conversas da nossa presidenta? Onde está a democracia?", perguntou Lula durante seminário da revista Carta Capital, em São Paulo. Lula também criticou os EUA por cogitarem invadir a Síria, e comparou o episódio à invasão do Iraque, em 2003. "Onde está a arma química que foi a razão daquela invasão?", questionou.

Mais conteúdo sobre:
EspionagemEUADilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.