Dilma afirma que Aécio precisa aprender a 'respeitar as mulheres'

Dilma afirma que Aécio precisa aprender a 'respeitar as mulheres'

Presidente relembrou já ter sido chamada de 'leviana' pelo rival tucano, da mesma forma que Luciana Genro

O Estado de S. Paulo

19 de outubro de 2014 | 19h47

A presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou em entrevista coletiva neste domingo, 19, em São Paulo, que o adversário Aécio Neves "precisa aprender a respeitar as mulheres".

"Com mulher não pode ser assim", disse a candidata à reeleição pelo PT em um hotel em São Paulo, horas antes do debate na TV Record. Ela se referiu ao clima bélico que dominou o debate anterior entre os dois, realizado no SBT, na quinta-feira passada. 

Aécio decidiu processar Dilma em razão de um anúncio na TV em que a campanha petista insinua que o tucano desrespeita as mulheres. A peça de 30 segundos exibe cenas de um debate do 1º turno das eleições, em que Aécio chama a adversária Luciana Genro (PSOL) de "leviana" e de outro em que ele usou o mesmo termo ao se referir a Dilma.

"O comportamento não foi comigo apenas. Ele chamou nós duas de levianas. É disso que ele está querendo nos processar? Ele tem de se processar a si mesmo, porque quem nos chamou foi ele", afirmou.

 Nos últimos dias, o PT tem tentado passar a imagem de que Aécio está criticando a presidente Dilma porque ela é mulher. Além da propaganda na TV, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva abordou o assunto em um comício em Manaus. "Quando vejo um homem na televisão ser ignorante com uma mulher, como ele tem sido com a Dilma nos debates, eu fico pensando que se esse cidadão é capaz de gritar com uma presidenta, fico imaginando quando ele encontrar um pobre, é capaz de pisar", disse na última quinta-feira.

 Debate. Apesar de dizer que pretende deixar a troca de acusações de lado e presentar mais propostas no debate na TV Record neste domingo, Dilma afirmou que não vai ouvir calada as críticas do adversário.

 "Eu tenho muitas propostas a apresentar. Mas é aquela velha história,  quando um não quer, dois não brigam. É impossível escutar agressões, preconceitos e desrespeito sem responder", disse.

 O debate da última quinta-feira, no SBT, foi marcado pelo tom agressivo pelo qual os dois adversários se trataram. No final,  Dilma passou mal enquanto dava uma entrevista à emissora.

 

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaAécioEleições 2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.