Dez pessoas foram presas em São Paulo por crimes eleitorais

Um jovem de 18 anos quebrou duas urnas a socos na capital paulista e poderá pegar de 5 a 10 anos de prisão; 381 urnas foram substituídas

Mateus Coutinho, O Estado de S. Paulo

26 de outubro de 2014 | 21h38

O Estado de São Paulo teve 10 pessoas presas por crimes eleitorais neste domingo, 26, sendo quatro em São Roque e duas em Votorantim por propaganda irregular, duas em Jandira por boca de urna e uma prisão em Embu-Guaçu de uma pessoa que tirou "selfie" no momento em que votava. Um jovem de 18 anos quebrou duas urnas a socos na região de Perus, noroeste da capital paulista. Ele poderá pegar de 5 a 10 anos de prisão.

No segundo turno das eleições presidenciais de 2014, o Estado ainda teve um total de 381 urnas substituídas, o que representa 0,42% de um total de 90.026 equipamentos. Destes, uma urna foi substituída por votação manual no Grajaú, região sul da capital paulista. Os dados são do último boletim divulgado pelo tribunal Regional Eleitoral de São Paulo.

O número de equipamentos substituídos foi menor do que no primeiro turno, quando ocorreram 541 trocas.

No primeiro turno foram 19 prisões no Estado, nenhuma relacionada a depredação de urnas ou "selfies" na hora da votação.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2014São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.