Dez momentos da campanha de Dilma no 2º turno

Dez momentos da campanha de Dilma no 2º turno

Candidata à reeleição pelo PT, presidente concentra reta final em críticas a Aécio e ao modelo de gestão do PSDB

O Estado de S. Paulo

25 de outubro de 2014 | 21h00

Ao anunciar sua candidatura, em julho, a presidente Dilma Rousseff (PT) adotou um discurso contra o que chamou de "campanha com ódio". Entretanto, assim como ocorreu no primeiro turno, a campanha se concentrou na troca de acusações com Aécio Neves e na estratégia de comparar gestões petistas e tucanas. A presidente contou com o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que viajou pelo País em campanha pela reeleição da petista.

1. Dilma diz que é 'ridículo' diferenciar votos do Nordeste e do Sudeste

Após o fim do primeiro turno, surgiram nas redes sociais comentários com críticas aos votos dedicados ao PT, em especial aos dos eleitores nordestinos. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso classificou os eleitores petistas como desinformados. O Nordeste foi a região onde a candidata petista teve, em termos proporcionais, sua maior vitória na primeira etapa da eleição. Leia mais: Qualificação do eleitor opõe Lula e Fernando Henrique

2. 'Eu nunca virei vice da CEF aos 25 anos'

Dilma alfinetou o adversário Aécio Neves (PSDB) e usou sua trajetória para questionar sua experiência administrativa. O tucano foi nomeado vice-presidente da Caixa em maio de 1985 pelo então presidente José Sarney, que herdou a presidência da República de Tancredo Neves, avô do candidato tucano. Leia mais: 'Eu nunca virei vice da CEF aos 25 anos'

3. Secretário da Fazenda, Márcio Holland, sugere que brasileiro troque carne por ovo

Com alta do preço da carne, o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda sugeriu que o brasileiro mudasse o hábito alimentar e desse preferência por outros alimentos. A declaração foi criticada pela própria presidente e Holland se retratou posteriormente. Leia mais: Contra a inflação, governo sugere trocar carne por ovo

4. Presidente admite desvio de dinheiro na Petrobrás

Em entrevista coletiva no Palácio da Alvorada, Dilma reconheceu a ocorrência de desvios na estatal e disse que iria pedir ressarcimento dos valores subtraídos da empresa: "Se houve desvio de dinheiro público queremos ele de volta. Se houve, não. Houve, viu?", afirmou. Leia mais: Pela primeira vez, Dilma admite desvio na Petrobrás

5. 'Aécio precisa aprender a respeitar as mulheres'

A presidente criticou a postura do candidato tucano após ele a chamar de leviana durante debate no SBT. No primeiro turno, ele já havia usado o mesmo termo para desqualificar acusações da então candidata Luciana Genro (PSOL). A campanha petista chegou a veicular na TV propagandas em que insinuava que Aécio era desrespeitoso com as mulheres. A peça acabou suspensa pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Leia mais: Dilma afirma que Aécio precisa aprender a 'respeitar as mulheres'

6. Tucanos se 'ajoelharam' diante do FMI

Em discurso durante carreata no Rio, Dilma contrapôs seu modelo de governo ao de FHC. Segundo ela, o PSDB prioriza banqueiros e taxa de juros. Presidente ressaltou o baixo desemprego durante seu mandato e afirmou que volta dos tucanos seria retrocesso. Leia mais: No Rio, Dilma ataca governo FHC

7. Dilma usa crise da água para atacar PSDB

Por mais de uma vez a presidente resgatou a crise hídrica no Estado de São Paulo para criticar o adversário tucano. Em agenda de campanha ela afirmou que "Estado mais rico do País, não se preparou para a seca." Leia mais: 'São Paulo não se preparou para a seca'

8. Lula compara Aécio e o PSDB aos nazistas

O ex-presidente fez duros ataques aos tucanos durante caminhada no Recife (PE). Lula ainda comparou as agressões ao PT à perseguição de Herodes a Jesus Cristo e classificou os adversários como intolerantes. A declaração foi considerada exagerada por FHC e Aécio. Leia mais: 'Estão agredindo a gente como os nazistas agrediam no tempo da 2ª Guerra'

9. Dilma canta vitória e diz que 'eleição virou'

Desde as primeiras pesquisas de intenção de voto no segundo turno, os presidenciáveis apareceram em situação de empate técnico, com Aécio numericamente à frente da presidente. No início da semana, no entanto, a petista passou a frente, mas ainda dentro do limite da margem de erro. Durante agenda de campanha, Dilma comemorou a inversão. Leia mais: 'Até a vitória no dia 26. Essa eleição virou'

10. Pela primeira vez, Dilma lidera fora da margem de erro no 2º turno

Pesquisas divulgadas antes do último debate da TV Globo mostram, pela primeira vez no 2º turno, Dilma à frente de Aécio, fora da margem de erro. Leia mais: Dilma abre vantagem e tem 54% dos votos válidos

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõessegundo turnoDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.