DESILUSÃO E ANULAÇÃO EM ÁREA PETISTA

No tradicional reduto petista de São Paulo, nas periferias das zonas sul e leste, eleitores chegaram às urnas divididos. Motivados pelo desejo de “novidade” e “decepcionados” com os escândalos de corrupção envolvendo o partido, eleitores de Fernando Haddad em 2012 ontem declaravam voto em João Doria (PSDB). Os distritos de Itaim Paulista e Guaianases, na região leste, e Parelheiros e Grajaú, na zona sul, concentraram no último pleito cerca de 80% dos votos do atual prefeito.

O Estado de S.Paulo

03 de outubro de 2016 | 00h13

No CEU Navegantes, maior local de votação do Grajaú, zona sul, o carreteiro Wanderson Nascimento, de 29 anos, ex-petista, declarou voto em Doria. “Tem propostas melhores para acabar com o desemprego e melhorar a saúde nos bairros.”

Moradora do Itaim Paulista, no extremo da zona leste, a costureira Eva Pereira, de 65 anos, está desacreditada com a política. “Sempre fui petista, mas agora o partido não vale meu voto”, disse. Anulou. Já para o aposentado José Barros, de 63 anos, a “administração do PT é podre”. “A gente precisa mudar.”

Confiança. Já o coletor de lixo Pablo Alexandre, de 30 anos, resolveu dar um voto de confiança em Haddad. “Não foi a melhor administração, mas houve melhora na limpeza da cidade e em hospitais. Ele ainda olha para a ‘quebrada’, a favela. Para os outros candidatos, a cidade de São Paulo só vai até o Tatuapé.”

/ JULIANA DIÓGENES e F.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.