Deputado do PSOL cobra transparência em controle de frequência na Assembleia de SP

Levantamento do 'Estado', com dados obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação, revelou quais deputados mais faltaram na atual legislatura

Atualizado às 11h, Pedro Venceslau e Ricardo Chapola - O Estado de S.Paulo

01 de outubro de 2013 | 02h11

O deputado Carlos Giannazi (PSOL) defendeu que os dados sobre as presenças e as ausências dos parlamentares sejam tornados públicos e divulgados na internet. A declaração foi feita após ser questionado sobre reportagem feita pelo Estado nesta segunda-feira, 30, na qual revela que Rui Falcão é o deputado com mais faltas na atual legislatura da Casa. O petista, que também é o presidente nacional do partido, deixou de comparecer a 187 das 584 sessões.

"É preciso ter transparência, já que essa Casa consome mais de R$ 800 milhões por ano. O deputado precisa fazer trabalho de base. Mas tem que justificar isso e mostrar que está realmente a serviço", Giannazi.

Ainda segundo o parlamentar, a Assembleia vive muito engessada. "O legislativo não legisla e nem fiscaliza o poder executivo. É muito difícil ter uma votação. E o governo tem uma base tão grande que é impossível aprovar uma CPI".

Na concepção do deputado Major Olímpio (PDT), o sistema de controle de presença da Casa é "vago e falho". "Vejo isso com tristeza. O sistema de controle é vago e falho", disse o pedetista.

Além do presidente do PT, completam o grupo dos dez mais faltosos os deputados Milton Leite Filho (DEM), Roque Barbiere (PTB), Feliciano Filho (PEN), João Caramez (PSDB), Roberto Engler (PSDB), Vanessa Damo (PMDB), Rogério Nogueira (PDT), Pedro Tobias (PSDB) e Gilson Souza (DEM) - todos também com mais de 100 faltas na atual legislatura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.