Denúncia foi feita em abril

Em abril deste ano o CNJ passou a investigar Clayton Camargo por suspeita de venda de sentenças e tráfico de influência. O caso teve início a partir da denúncia de uma advogada segundo a qual Camargo e outro desembargador teriam recebido R$ 200 mil para direcionar a causa em favor de uma das partes numa disputa de guarda de filhos. Em junho, Camargo foi investigado pela Polícia Federal por suspeita de envolvimento com grupo que manipulava processos de falências no Paraná.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.