Denúncia envolvendo secretário do governo movimenta disputa no AM

Eduardo Braga tem 50% e José Melo 50%, aponta pesquisa Ibope

MARCOS MORAES - ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S. Paulo

25 de outubro de 2014 | 21h27

MANAUS - Menos de 2 mil votos de diferença no 1.º turno, previsão de virada na segunda etapa, de acordo com pesquisas, e denúncia de negociação entre subsecretário do atual governo com traficante. Esse é o cenário da reta final do 2.º turno das eleições para o governo do Amazonas, disputado entre o atual governador, José Melo (PROS), e o senador Eduardo Braga (PMDB).

No 1.º turno, houve empate técnico: Braga teve 43,16% dos votos ante 43,04% de Melo, que, neste 2.º turno, ganhou o apoio do PSB, partido do terceiro colocado na disputa estadual, Marcelo Ramos.

Contudo, a gravação de uma conversa entre o traficante José Roberto Fernandes e o subsecretário de Justiça de Melo, Carliomar Brandão, publicada no site da revista Veja no último domingo, pode ter impacto na opinião dos amazonenses. Carliomar e “Zé Roberto” supostamente tratavam do apoio do criminoso ao atual governador.

O subsecretário foi exonerado e Melo considerou a reportagem “uma coisa grosseira”, alegando armação contra sua candidatura. Também depõe contra o atual governador, a ausência em debate da Band Amazonas, no dia 9. Melo disse ter se sentido ameaçado porque um dos sócios da emissora, Francisco Garcia, é pai da vice de Braga, Rebecca Garcia (PP).

Além da grave denúncia contra o adversário, Braga aposta em propostas como a construção de novos presídios e policlínicas, estabelece como meta colocar o Amazonas entre os cinco melhores no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e também tem o apoio da presidente Dilma Rousseff, embora tenha recebido apenas visitas do ex-presidente Lula em Manaus.

Pesquisa. A Pesquisa Ibope divulgada neste sábado, 25, sobre a disputa para o governo do Amazonas aponta que José Melo (PROS) e Eduardo Braga (PMDB) têm 50% dos votos válidos cada um. Em votos totais, ambos têm 46% cada um. Brancos e nulos somam 4% e não sabe/não respondeu, 4%.

O Ibope ouviu 1.512 eleitores de 22 a 25 de outubro, e a margem de erro é de três pontos porcentuais. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Eleitoral Regional (TRE-AM) sob o protocolo AM-00069/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo BR-01198/2014.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesEduardo BragaJosé Melo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.