Delúbio é condenado a quase 9 anos e deverá enfrentar regime fechado

Ex-tesoureiro, condenado por formação de quadrilha e corrupção ativa, deverá ter o mesmo destino de Dirceu

O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2012 | 02h04

O Supremo aplicou ontem uma pena de 8 anos e 11 meses de prisão a Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa na compra de apoio político de parlamentares para aprovarem propostas de interesse do governo Lula. Com essa pena, o ex-tesoureiro petista deverá ter o mesmo destino do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, apontado como o chefe da quadrilha do mensalão: vai cumprir a pena de cadeia em regime inicialmente fechado. A maioria dos ministros considerou que Delúbio atuava sob as ordens de Dirceu.

Delúbio, que completou 57 anos na semana passada, tem uma história de amor e ódio com o PT. Em outubro de 2005, o partido expulsou-o da legenda.

Tentou voltar em 2009, mas foi demovido ante o receio de que a volta ao partido pudesse trazer o fantasma do mensalão e até atrapalhar a candidatura presidencial de Dilma Rousseff. O plano foi adiado por dois anos e Delúbio retornou ao partido em abril do ano passado. O mais provável é que o PT não leve adiante a previsão estatutária de expulsá-lo mais uma vez, agora por causa da condenação pelo STF. / RICARDO BRITO e EDUARDO BRESCIANI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.