Delgado afirma que PMDB pode ficar 'hegemônico demais'

Candidato à presidência da Câmara, o deputado federal Júlio Delgado (PSB-MG) afirmou ontem que o fortalecimento do PMDB, caso o partido conquiste o comando da Casa e mantenha o controle do Senado, poderá favorecer uma aproximação de sua legenda com a provável candidatura presidencial do senador Aécio Neves (PSDB-MG) em 2014.

O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2013 | 02h10

"O PMDB pode ser hegemônico demais. Coordenar as duas casas e ter o vice-presidente da República. Essa hegemonia toda deixa aquém os demais partidos que fazem parte da base", disse Delgado após se reunir com o governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB), em Belo Horizonte.

Os peemedebistas Renan Calheiros (AL) e Henrique Eduardo Alves (RN) são os favoritos para as eleições no Senado e na Câmara, respectivamente, Delgado defende um "reequilíbrio de forças" entre os partidos aliados ao governo federal. Em Minas, o PSB integra a base aliada ao governo estadual. No encontro com Anastasia, Delgado pediu o apoio dos tucanos mineiros ao seu nome. Na quinta-feira, ele discute sua candidatura com o presidente do PSB, o governador Eduardo Campos (PE). / MARCELO PORTELA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.