Delator diz que ex-número 2 de pasta confirmou propina

Ex-diretor da Siemens relata conversa com ex-adjunto de secretário paulista de Transportes Metropolitanos

O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2013 | 02h13

No relatório em posse da Polícia Federal, o ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer afirma que o então o número dois de Jurandir Fernandes, atual secretário dos Transportes Metropolitanos, confirmou, no início dos anos 2000, o pagamento de propina pela Siemens a diretores da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) por ocasião da licitação da Linha 5 do Metrô.

Ricardo Ota, já falecido, foi secretário adjunto de Jurandir entre 2001 e 2005, nos dois primeiros governos de Geraldo Alckmin (PSDB). Naquela época, Fernandes ocupava o mesmo cargo em que está atualmente.

No texto entregue ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), datado de 17 de abril de 2013, Rheinheimer afirmou que confirmou com Ota uma história que ouvira do diretor da multinacional japonesa Mitsui, Masao Suzuki. Segundo o ex-diretor da Siemens, Suzuki "mencionava abertamente o assunto 'comissão'" porque achava que fora enganado pelos lobistas do esquema.

"Durante uma visita do Ricardo Ota, assessor da diretoria da CPTM (sic), à nossa fábrica de trens em Viena eu abordei com ele o tema 'comissão' e obtive confirmação", anotou.

Segundo o executivo, nessa conversa Ota constatou que a Siemens pagava aos lobistas Arthur e Sérgio Teixeira um porcentual de 8% do valor dos contratos, mas eles só repassavam 5% à diretoria da CPTM.

Procurado, Jurandir Fernandes não quis se manifestar sobre as afirmações de Everton Rheinheimer sobre seu então secretário adjunto.

A Mitsui disse que "tem diligentemente cooperado com as investigações". "Como a investigação ainda está em andamento, a Mitsui não comentará o caso." Arthur Teixeira sustenta que faz apenas consultorias e nega o pagamento de propina.

Procurados, o Metrô e a CPTM não se manifestaram até a conclusão desta reportagem. / FAUSTO MACEDO, FERNANDO GALLO e RICARDO CHAPOLA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.