Defesas dizem 'não ver base' para nova apuração

O advogado Celso Vilardi, que defende Rosemary Noronha, foi enfático."Não vejo nenhuma base para se cogitar de lavagem de dinheiro no que toca à minha cliente", afirmou. Pierpaolo Bottini, que defende Paulo Vieira, informou que vai requisitar judicialmente averiguação das contas do analista do TCU Cyonil Borges e da mulher dele.

O Estado de S.Paulo

12 de dezembro de 2012 | 02h03

"Até aqui não existe materialidade da existência desse dinheiro", disse Bottini, em alusão aos R$ 100 mil que Cyonil alegou ter sido pago a ele por Vieira. "As declarações do servidor do TCU são absolutamente inconsistentes e contraditórias. A cada depoimento, na PF ou no Ministério Público, ele (Cyonil) assume versão diferente sobre a suposta corrupção. Não se sabe o que ele teria feito com esse dinheiro, ora diz que depositou numa conta, ora diz que gastou."

Bottini pondera que o dinheiro apreendido na Porto Seguro é o do empréstimo consignado que Cyonil alegou ter feito para devolver a quantia a Vieira. "Ele disse que gastou o dinheiro, daí fez o empréstimo. Nunca vi alguém que se diz chocado em receber dinheiro de corrupção gastar esse dinheiro. Vamos requerer ao TCU procedimento interno para investigar o caso" / F. M. e B. B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.