Reprodução/Facebook Lula
Reprodução/Facebook Lula

Defesa pede ao TSE que Lula possa gravar vídeos em apoio a candidaturas do PT

'Eleitorado brasileiro (merece) saber qual a opinião de Lula acerca dos candidatos', argumentam os advogados

Amanda Pupo e Teo Cury, O Estado de S.Paulo

14 Setembro 2018 | 14h10

BRASÍLIA - A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que o líder petista possa gravar áudios e vídeos como apoiador da campanha de Fernando Haddad (PT) à presidência da República e demais candidaturas petistas nas eleições 2018. As mídias seriam veiculadas na propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.

Na petição, os advogados afirmam que é "inegável"  que a figura política de Lula "possui força própria e descomunal, sendo plenamente eficaz para formar opinião, seja a seu favor ou em seu detrimento". A ação está sob relatoria do ministro Sérgio Banhos.

"O eleitorado brasileiro (merece) saber qual a opinião de Lula acerca dos candidatos a Presidente da República, ao Senado, ao Governo dos Estados e do Distrito Federal e aos cargos proporcionais federais e estaduais", afirma a defesa do ex-presidente, preso e condenado na Lava Jato.  Ele teve sua candidatura barrada pelo TSE em função da Lei da Ficha Limpa. Nesta terça, o PT oficializou Haddad como candidato à presidência no lugar de Lula.

Os advogados do ex-presidente pedem que, caso o TSE aceite o pedido formulado, a Superintendência da Polícia Federal no Paraná, onde Lula está preso, seja comunicada para dar "efetividade a tais direitos". 

"Por consequência, é direito da coligação que visa disputar a campanha presidencial se utilizar de figura política de grande aporte que a apoie para criar identificação com o eleitorado, respeitando-se o limite de 25% previsto em lei", destaca a defesa. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.