EPITACIO PESSOA/ESTADÃO
EPITACIO PESSOA/ESTADÃO

Dário Saadi, do Republicanos, será o prefeito de Campinas

Ele foi eleito para suceder o prefeito Jonas Donizette (PSB) neste domingo, 29, com 57,07% dos votos válidos

Claudio Liza Junior, especial para o Estadão, O Estado de S. Paulo

29 de novembro de 2020 | 19h18

O médico e ex-vereador Dário Saadi (Republicanos), de 57 anos, será o novo prefeito de Campinas a partir de 2021. Ele foi eleito para suceder o prefeito Jonas Donizette (PSB) neste domingo, 29, com 57,07% dos votos válidos. Seu adversário no segundo turno, o deputado estadual Rafa Zimbaldi (PL), obteve 42,93% dos votos.  

A vitória de Saadi na corrida pelo comando do Palácio dos Jequitibás ocorreu após um segundo turno marcado por intensa troca de acusações entre os candidatos, em debates e nas propagandas. Confirmou tendência apontada pelo Ibope, que o indicou no dia 28 com 55% das intenções nos votos válidos, ante 45% de Zimbaldi. Saadi já havia saído vencedor no primeiro turno, com 25,78% dos votos, contra 21,86%.  

Em um dia de eleição tranquilo, 22,4% votaram nulo, 8,34% em branco e 35,25% não compareceram às urnas, recorde histórico de abstenção. Em seu primeiro pronunciamento como eleito, Saadi agradeceu a confiança e disse que sua prioridade será a saúde. "Serei o prefeito de todos, não só dos que votaram em mim. Temos como grande desafio a saúde, pois a pandemia não acabou, e geração de emprego e renda", afirmou.

O eleito deu coletiva ao lado do prefeito, em fim de segundo mandato e que o apoiou na eleição. Também recebeu ligação do adversário, reconhecendo a derrota, e se colocou à disposição do deputado para conversar. 

Saadi é urologista, foi vereador por 18 anos, entre 1995 e 2012, e se lançou candidato a prefeito pela primeira vez. Nos últimos cinco anos, foi secretário de Esportes do prefeito Donizette, em fim de segundo mandato. Chega ao Executivo respaldado por uma coligação que reuniu DEM, MDB, PSL e o PSB, do atual mandatário. Ao longo do segundo turno, recebeu apoios de PSD, PDT, Cidadania e PV. 

Seu vice é o presidente do PSB local, Wanderley Almeida, de 51 anos, ex-secretário municipal de Relações Institucionais e considerado braço-direito do prefeito. Em sua campanha, Saadi evitou se colocar como continuidade, focando em sua experiência de 30 anos na vida pública. 

Nascido na cidade paulista de Pedregulho, chegou em Campinas aos 18 anos e se formou na Pontifícia Universidade Católica (PUC). Presidiu o Hospital Municipal Dr. Mário Gatti entre 1993 e 94 e a Câmara Municipal entre 2005 e 2006.

O candidato derrotado divulgou um vídeo em que agradeceu os votos recebidos e disse que manterá seu trabalho na Assembleia Legislativa. "Foi uma campanha difícil, brigando com a máquina pública. Mas as diferenças partidárias terminam aqui. Vou continuar trabalhando firme para trazer recursos para a minha cidade."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.