DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Damares diz que quer ser presidente do Senado para propor novo Código Penal

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos afirmou quer quer propor uma 'ampla e irrestrita' reforma na Casa

Eduardo Gayer, enviado especial, O Estado de S.Paulo

03 de fevereiro de 2022 | 22h12

Porto Velho - A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou nesta quinta-feira que quer se tornar presidente do Senado Federal para propor uma "ampla e irrestrita" reforma do Código Penal. Apesar disso, a ministra disse ainda não ter decidido se será candidata nas eleições de 2022. 

A manifestação vem no dia em que o presidente Jair Bolsonaro (PL) declarou que 11 ministros deixarão os cargos em 31 de março para disputar as eleições. "Todo mundo me quer senadora, porque todo mundo quer uma mulher presidente do Senado. Quero ser presidente do Senado e propor ampla e irrestrita reforma do Código Penal da história do País", afirmou Damares a jornalistas, no Palácio do Planalto.

O plano de Bolsonaro é lançar Damares para o Senado por São Paulo e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, a governador. Nenhum dos dois se filiou a partidos políticos até o momento. 

"Ainda não disse se serei candidata, em qual estado, para qual cargo, por qual partido. Não tem nada definido ainda, mas vou conversar, acho que ainda hoje, com o presidente", seguiu Damares. "Eu estou orando. Se eu sentir que é um projeto que Deus está no negócio, a ministra aceita", resumiu. 

De acordo com a ministra, Bolsonaro deu a ela "alguns dias para pensar''. "Ainda não disse 'sim' para ele. "Temos alguns estados no Norte que querem a ministra Damares senadora. Temos São Paulo que o presidente quer", disse a também pastora evangélica. Hoje, seu domicílio eleitoral está em São Paulo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.