Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Cúpula do PSB visita Marina em São Paulo

No primeiro encontro do grupo após morte de Campos, lideranças do partido comunicam a vice que legenda deve definir na próxima semana futuro da sucessão presidencial

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

15 de agosto de 2014 | 15h02

São Paulo - A cúpula do PSB visitou na manhã desta sexta-feira, 15, a candidata a vice-presidente Marina Silva. Foi a primeira vez que o grupo se reuniu após o acidente aéreo que matou o presidenciável Eduardo Campos, na última quarta-feira.

Segundo o presidente em exercício da sigla, Roberto Amaral, foi comunicado a Marina que o PSB vai se reunir na próxima quarta-feira para tomar uma decisão referente ao processo eleitoral. Já há consenso, porém, que o nome da vice é o ideal para assumir a cabeça de chapa.

"A nossa prioridade é enterrar o Eduardo. Fazer as homenagens que ele merece. Somente depois vamos discutir o cenário eleitoral", afirmou.

Estiveram no apartamento da vice, além do Amaral, o secretário executivo, Carlos Siqueira, a deputada Luiza Erundina (PSB), e Milton Coelho, que foi secretário de Campos em Pernambuco. O porta-voz da Rede Sustentabilidade,  Walter Feldman, também acompanhou o grupo.

Bastante emocionado, Amaral disse que não visitou a ex-ministra antes porque "não tinha condições emocionais". "A gente olha para a Marina e vê o Eduardo."

Amaral é apontado como um dos principais focos de resistência ao nome de Marina. Bastante ligado ao PT, ele foi contra a aliança com a ex-ministra e havia se afastado do dia a dia da campanha.

Questionado sobre o assunto, disse que jamais escondeu as divergências com Marina, mas afirmou que isso nunca os impediu de ter uma relação respeitosa.

Segundo os presentes na reunião,  Marina continua bastante emocionada com o que aconteceu. Ela teria conseguido falar com Renata, a viúva de Campos, por telefone na noite de quinta-feira. 

Prazos. De acordo com a legislação eleitoral, o PSB tem dez dias, a partir da data da morte de Campos, para apresentar um novo candidato à Presidência. Na terça-feira, na estreia do horário eleitoral na TV, o PSB vai homenagear Campos na propaganda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.