Cunha cedeu a pressão de radicais petistas, diz revista

Em nota divulgada ontem, a revista Veja afirma que, ao pedir o indiciamento do jornalista Policarpo Júnior, o deputado Odair Cunha (PT-MG) "não conseguiu esconder sua submissão às pressões da ala radical de seu partido que, desde a concepção da CPI, objetivava atingir a credibilidade da imprensa livre por seus profissionais terem tido um papel crucial na revelação do escândalo do mensalão".

O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2012 | 02h05

O texto diz que Cunha, "em seu afã de servir de instrumento de revanche", recorreu a "expedientes condenáveis", como suprimir depoimentos dos delegados da Polícia Federal Matheus Mella Rodrigues e Raul de Souza e dos procuradores da República Daniel Rezende e Léa Batista Salgado que, "sem exceção, foram enfáticos em descrever as conversas do jornalista de Veja com Carlos Cachoeira como relação entre repórter e fonte". "As razões pelas quais Odair Cunha suprimiu essa prova irrefutável de inocência de seu relatório ainda precisam ser devidamente esclarecidas", conclui a nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.