FABIO MOTTA|ESTADÃO
FABIO MOTTA|ESTADÃO

Crivella mantém liderança no Rio, com 34%, aponta Ibope

Pedro Paulo (PMDB) e Marcelo Freixo (PSOL) têm 10%; seis candidatos estão tecnicamente empatados em segundo lugar

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

28 de setembro de 2016 | 19h57

RIO -  Pesquisa do Ibope realizada no Rio de Janeiro entre os dias 26 e 28 de setembro confirma a liderança isolada do senador Marcelo Crivella, candidato do PRB, que oscilou um ponto para baixo, de 35% para 34% das intenções de voto. Pedro Paulo, do PMDB, e Marcelo Freixo, do PSOL, têm 10% cada um. A diferença é que o peemedebista caiu um ponto porcentual e Freixo subiu, também um ponto. 

Indio da Costa, candidato do PSD, tem 8%. Estão empatados com 7% os candidatos Jandira Feghali, do PC do B, e Flávio Bolsonaro, do PSC. Como a margem de erro é de três pontos porcentuais, são seis candidatos tecnicamente empatados em segundo lugar. 

O candidato do PSDB, Carlos Osório, teve 4% das intenções de voto. Alessandro Molon, da Rede, e Carmen Migueles, do Novo, têm 1% cada. Não chegaram a 1% de citações os candidatos do PSTU, Cyro Garcia, e do PCO, Thelma Bastos. Mencionaram que votarão em branco ou nulo 14% dos entrevistados e 4% não sabem ou não responderam. Crivella vence todas as simulações de segundo turno. 

Jandira Feghali teve o maior índice de rejeição: 38% disseram que não votam na candidata do PC do B de jeito nenhum. O segundo candidato mais rejeitado foi Pedro Paulo, com 36%. Em seguida vêm Bolsonaro (27%), Crivella (26%), Freixo e Indio (19% cada um), Cyro Garcia (17%), Osório (16%), Molon (15%), Carmen Migueles (14%) e Thelma Bastos (13%).

A administração do prefeito Eduardo Paes (PMDB), padrinho político e principal cabo eleitoral de Pedro Paulo, foi considerada boa ou ótima por 25% dos entrevistados. A avaliação ruim ou péssima foi escolhida por 33% e 41% consideraram a gestão regular. Dois por cento não responderam. A aprovação de Paes tem tido ligeira queda: era de 27% nas duas primeiras pesquisas do Ibope, caiu para 26% e agora chegou a 25%. Foram entrevistados 1.204 eleitores. O nível de confiança é de 95%, ou seja, levando em conta a margem de erro de três pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro(TRE-RJ) com o número  RJ-03256/2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.