Crescimento em pesquisa mostra densidade da campanha, diz Doria

Levantamento divulgado ontem pelo Datafolha mostra que candidato tucano foi o que mais cresceu, ficando agora em terceiro lugar na disputa

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2016 | 15h56

SÃO PAULO - O candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, João Doria, comemorou o resultado da pesquisa Datafolha divulgada. O levantamento mostra que embora esteja em terceiro lugar, atrás de Celso Russomanno (PRB), que tem 31%, e Marta Suplicy (PMDB), com 26%, o tucano foi o candidato que mais cresceu desde o início oficial da campanha passando de 5% para 16% das intenções de voto.

É muito bom para nós porque mostra o conhecimento, a densidade da campanha, a penetração do nosso nome em todos segmentos da população. É o crescimento mais expressivo. É mais intenso, mais veloz”, disse Doria.

O tucano fez uma caminhada ontem pela área comercial do bairro de Perus e concedeu uma rápida entrevista coletiva. O local escolhido para atender a imprensa foi um posto da rede Ipiranga. Na semana passada a Justiça Eleitoral proibiu uma propaganda de Doria que fazia referência aos comerciais da rede de postos de combustível. O local foi escolhido deliberadamente.

Um dia depois de o prefeito Fernando Haddad adotar a estratégia de tentar nacionalizar a disputa eleitoral vinculando Doria, Russomanno e Marta às medidas impopulares do governo Michel Temer, o candidato do PSDB disse que prefere manter o debate focado nbos problemas da cidade.

Eu quero o contrário. Quero municipalizar o debate, discutir os problemas da cidade de São Paulo, não os problemas do Brasil”, disse Doria, antes de disparar contra o PT”. “Aliás, se formos falar dos problemas do Brasil o PT tem que responder muito, 12 milhões de desempregados, três anos de recessão, inflação alta, descrédito internacional, falta de investimentos e corrupção”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.