CPI é questão do Congresso e deve ter isenção, diz Temer

O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), evitou comentar a posição do PMDB sobre a instalação da CPI do Cachoeira. "Eu não acho nada. Isso é uma questão do Congresso Nacional. O Congresso decidiu, o Congresso está levando adiante e o Congresso terá a palavra final", disse ontem, após visitar o presidente do Senado, José Sarney, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

RICARDO CHAPOLA, ESTADÃO.COM.BR, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2012 | 03h08

Temer admitiu que conversou sobre a CPI com Sarney, mas disse que o senador também não quis opinar sobre o caso. "Se a CPI se instalar, ela deve agir com muita sobriedade, e fazer aquilo que cabe à comissão: apurar fatos com muita tranquilidade, com isenção. Sem transformá-la num local de discussões políticas, mas de investigação."

O presidente em exercício do PMDB, senador Valdir Raupp, que estava ontem com Temer, afirmou, em entrevista à rádio Estadão ESPN, que CPI vai "além do fim do mundo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.