'Tiago Queiroz/Estadão
'Tiago Queiroz/Estadão

Covas critica ‘fake news’ sobre divulgação de dados de covid-19

Prefeito diz que é falso que a Prefeitura irá apertar quarentena após eleição

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2020 | 18h59
Atualizado 23 de novembro de 2020 | 21h16

O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB) classificou como fake news mensagens que circulam pela internet dizendo que ele pretende apertar a quarentena após o segundo turno. Durante caminhada pela Liberdade, no centro, ele negou que esteja esperando o resultado da eleição de domingo para anunciar aumento das restrições de circulação de pessoas devido ao coronavírus.

“Os dados aqui da cidade apontam para uma estabilidade em relação ao número de casos e óbitos e um aumento no número de internações muito explicado pela população da classe A. Não há nenhum número que aponte a necessidade de qualquer ação drástica a partir de segunda-feira”, disse o tucano.  O segundo turno da eleição municipal que será disputado entre Covas e Guilherme Boulos (PSOL) ocorre domingo, 29.

Desde quinta-feira passada, Covas vem dizendo que os números da covid-19 em São Paulo estão estabilizados. Ele credita o aumento de internação a moradores mais ricos que, agora, reduziram os cuidados e acabaram sendo infectados. Além disso, segundo o prefeito, muitos pacientes do interior buscam hospitais da capital. “Refutamos qualquer notícia de que estamos esperando a eleição para tomar essa ou aquela medida”, afirmou.

Para Entender

Veja propostas de Bruno Covas

Confira quais são os principais pontos do plano de governo do candidato do PSDB para a Prefeitura de São Paulo nas áreas da Saúde, Educação, Emprego, Transporte, Segurança, Meio Ambiente e Habitação

O governo do Estado, comandado por João Doria (PSDB), pretende fazer um anúncio da nova fase do Plano São Paulo no dia 30, um dia após o segundo turno da eleição municipal. O governo justificou a medida apontando instabilidade nos dados sobre óbitos e casos graves de coronavírus, que vêm do governo federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.