Corte incorre em 'heresia jurídica', afirma Tolentino

O advogado e ex-sócio de Marcos Valério, Rogério Tolentino, réu no processo do mensalão, afirmou ontem que o Supremo Tribunal Federal incorreu em "heresia jurídica" ao julgá-lo e condená-lo no caso por lavagem de dinheiro. Segundo ele, a Corte não tem competência legal para julgar crimes financeiros. "É uma invasão de jurisdição. Você tem dois processos distintos. Na ação penal 420, na qual o BMG é julgado por gestão fraudulenta por fazer também os mesmos empréstimos, inclusive o meu, você pode me mandar para Guantánamo se quiser", afirmou. A ação 420 também se refere ao processo do mensalão, mas aos empréstimos feitos pelo BMG. Ela corre na 4ª Vara Federal, em Belo Horizonte. A 470, que agora está sendo julgada no Supremo, englobou apenas os empréstimos feitos às agências de Valério pelo Banco Rural. "Gente, condene o Tolentino à forca, mas na 420", disse ele, que negou ter feito lavagem de dinheiro. / FERNANDO GALLO

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.