Corrupção será alvo de 'luta incessante', diz Dilma

Antes de sair em recesso, presidente afirma em cadeia de rádio e TV que 2012 será um 'marco' para a economia do País

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

24 de dezembro de 2011 | 03h02

Em pronunciamento ontem à noite, por rádio e TV, a presidente Dilma Rousseff prometeu ao País continuar em 2012 a "luta incessante" contra a corrupção.

Ela definiu 2011 como um "ano de grande prova", numa referência à crise internacional e às dificuldades do governo, marcado pela queda de seis ministros.

O próximo ano, disse ela, será um "marco" na consolidação de um modelo de desenvolvimento, baseado em "forte crescimento econômico", com distribuição de renda, diminuição das desigualdades e aperfeiçoamento da democracia. "Teremos força também para continuar a luta incessante contra a corrupção e qualquer tipo de desvio ou malfeito", prometeu.

Num prognóstico otimista, a presidente disse que, graças "ao planejamento e a medidas econômicas acertadas", o Brasil começará 2012 com "forte aumento do salário mínimo, redução de impostos, retomada do crédito, aumento dos investimentos e estabilidade fiscal".

"Com menos impostos e mais crédito, a economia vai crescer mais", disse Dilma, que completou afirmando: "Estamos entrando numa era de prosperidade".

A prresidente reservou o período de 26 de dezembro a 10 de janeiro para o recesso de fim de ano - provavelmente na Base Naval de Aratu, na Bahia. Segundo assessores, ela passará o Natal no Alvorada com a filha, Paula, o neto, Gabriel, e o genro, Rafael Covolo, e a mãe, Dilma Jane. Só na volta a Brasília é que deverá começar a costura da reforma ministerial. / VANNILDO MENDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.