Corregedoria vai apurar ligação de servidor com lobista

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) também afirmou ontem que a Corregedoria-Geral do Estado vai apurar o possível envolvimento do secretário executivo do Conselho Gestor de Parcerias Público-Privadas, Pedro Benvenuto, com empresas suspeitas no caso do cartel dos trens.

O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2013 | 02h07

De acordo com reportagem publicada ontem pelo jornal Folha de S.Paulo, Benvenuto, quando trabalhava na Secretaria de Transportes Metropolitanos, entre 2006 e 2007, teria tido vários encontros com o lobista José Fagali Neto, que atuava como consultor das multinacionais.

Segundo o Mistério Público, Fagali Neto é suspeito de intermediar propinas entre a Alstom, empresa francesa, e políticos da gestão tucana. O lobista é irmão do ex-presidente do Metrô José Jorge Fagali, que ocupou o cargo entre os anos de 2007 e 2010.

Questionado sobre a suspeita que recai sobre Benvenuto, o atual secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, que ocupava o mesmo cargo em 2006, disse que não poderia responder por todos os subordinados. "Não tenho controle. Nem eu, nem você, nem ninguém", afirmou Fernandes. / C.V.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.