Coordenador atribui a 'equívoco' de Campos desconhecimento de Marina sobre projeto de reforma tributária

Responsável pela comunicação da candidata afirma que ex-governador 'foi além do que ele mesmo havia defendido nos debates internos' ao prometer apresentar proposta antes do primeiro turno

Ana Fernandes, O Estado de S. Paulo

16 de setembro de 2014 | 16h31

São Paulo - O coordenador de comunicação da campanha de Marina Silva (PSB), Nilson Oliveira, disse, via mensagem ao Broadcast Político, que Eduardo Campos cometeu um "equívoco" ao dizer que apresentaria um texto base com propostas para uma reforma tributária antes do primeiro turno. Mais cedo, a assessoria de Marina assim como a própria candidata disseram não ter conhecimento do compromisso assumido por Campos de apresentar tal documento.

"O Eduardo foi além do que ele mesmo havia defendido nos debates internos sobre reforma tributária. Não há nenhuma pessoa do staff dele que não aponte equívoco nessa fala", disse Oliveira por mensagem ao ser confrontado com áudio de uma entrevista dada por Campos, em 22 de julho, em Limeira, no interior paulista. "Antes das eleições, vou apresentar o texto-base do debate com a sociedade, para que a gente possa, tão logo assumindo, mandar ao Congresso Nacional a reforma tributária tão falada", havia dito Campos na ocasião.

Ouça o áudio da entrevista dada por Campos em julho:

 

"Os compromissos assumidos publicamente em diversos eventos com os mais diferentes públicos são: não aumentar a carga tributária, enviar projeto de reforma no primeiro mês do primeiro ano de mandato e fazer as mudanças de forma fatiada", disse Oliveira em outro trecho da mensagem enviada ao Broadcast Político. "Lamentavelmente, Eduardo não pode assumir a autoria do equívoco", completou. Nesta terça, Marina afirmou não ter conhecimento da promessa do ex-governador de elaborar um texto com proposta de reforma tributária antes do primeiro turno das eleições.

Em vida, Eduardo Campos defendeu que a reforma tributária fosse feita de forma fatiada. O candidato havia assumido o compromisso de apresentar um texto que aprofundasse as propostas para tal reforma antes do primeiro turno das eleições, marcado para 5 de outubro. O documento, segundo ele havia dito a jornalistas, detalharia mais o tema para além dos princípios que seriam colocados no programa de governo. 

Segundo o programa, que acabou sendo apresentado em 29 de agosto já com Marina Silva na cabeça de chapa, a coligação vem defendendo que as mudanças sejam debatidas em cima de três princípios: justiça tributária, transparência e simplificação. A candidata, contudo, tem evitado entrar em detalhes sobre propostas efetivas para a reforma.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesMarina SilvaEduardo Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.