Diego Vara/Estadão
Diego Vara/Estadão

Pesquisa Ibope aponta que convicção em Bolsonaro cresce impulsionada por voto masculino

Após sofrer atentado, candidato do PSL aparece com intenção de voto mais cristalizada na pesquisa divulgada nesta terça

Daniel Bramatti, O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2018 | 11h14

Após o atentado contra o candidato do PSL nas eleições 2018, Jair Bolsonaro, seu eleitorado se tornou mais convicto  –  o que reduz as chances de ele ficar de fora do segundo turno  –  e se concentrou ainda mais no segmento masculino. Os dados são de pesquisa de intenção de voto do Ibope divulgada na terça-feira, 11.

A parcela de bolsonaristas que afirmam que sua escolha é “definitiva e não mudará de jeito nenhum” deu um salto de 13 pontos porcentuais entre a pesquisa Ibope divulgada em 5 de setembro e a do dia 11. Na semana anterior, a ala convicta era 41% do eleitorado do candidato. Agora, essa taxa subiu para 54%.

Como observou Marcia Cavallari, diretora executiva do Ibope Inteligência, Bolsonaro “é o único dos candidatos que tem a maioria absoluta dos seus eleitores afirmando que esta é uma decisão definitiva”.

Além dos 54%, outros 19% dos bolsonaristas afirmam que a decisão de voto é “firme, mas poderá mudar no decorrer da  campanha”. O restante diz que “é uma escolha do atual momento, que durante a campanha poderá mudar” (13%) ou que “é apenas uma preferência inicial” (14%).

Outro sinal da cristalização do voto no candidato do PSL foi seu avanço na pesquisa espontânea, na qual os eleitores manifestam sua preferência antes de ler a lista com os nomes dos candidatos, Nessa modalidade, ele subiu seis pontos porcentuais, de 17% para 23%.

Na pesquisa estimulada, o crescimento foi de quatro pontos porcentuais, de 22% para 26% das intenções de voto. Disputam o segundo lugar, embolados, Ciro Gomes (PDT, 11%), Marina Silva (Rede, 9%), Geraldo Alckmin (PSDB, 9%) e Fernando Haddad (PT, 8%).

Bolsonaro foi ferido com uma facada na última quinta-feira, enquanto participava de uma caminhada em Juiz de Fora (MG). Os entrevistadores do Ibope foram a campo entre o sábado e a segunda-feira, período que coincidiu com um aumento expressivo da exposição do candidato do PSL nos meios de comunicação.

Se o que impulsionou Bolsonaro foi a comoção provocada pelo atentado, ela parece ter afetado mais os homens que as mulheres. No segmento masculino do eleitorado, o candidato subiu sete pontos porcentuais, de 28% para 35%. Entre as mulheres, houve apenas uma oscilação de 16% para 18%. Ou seja, de cada dez novos eleitores do candidato, oito são homens e dois são mulheres. Há uma semana, 61% dos dispostos a votar no candidato eram homens. Agora, essa taxa subiu para 64%.

O Ibope ouviu 2.002 eleitores em 145 municípios de todo o país. A margem de erro do levantamento é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro. O registro no Tribunal Superior Eleitoral foi feito sob o protocolo  BR‐05221/2018. A pesquisa foi custeada pelo próprio Ibope.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.