Convênios sempre foram definidos sem publicidade

Quando, em setembro, o deputado estadual Roque Barbiere (PTB) denunciou a suposta venda de emendas parlamentares, não havia nenhum mecanismo de divulgação das indicações de convênios. Com o escândalo, o governo deu publicidade em outubro às emendas pagas em 2011 e, na última sexta-feira, às referentes ao período de 2007 a 2010.

O Estado de S.Paulo

09 de novembro de 2011 | 03h07

A cota de emendas foi negociada com os deputados no governo José Serra. As indicações eram feitas à Casa Civil, sem passar por votação. Em 2010, o Palácio dos Bandeirantes chegou a cogitar a implementação de um sistema de transparência de gastos públicos, mas a avaliação foi que a divulgação de dados em ano eleitoral poderia ser usada politicamente contra Serra, então candidato à Presidência. / L.A.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.