Convenção do PP em Campinas termina em confusão

Grupo contrário à aliança do partido com deputado Rafa Zimbaldi é barrado de participar do evento; presidente da sigla diz que sala só tinha capacidade para 20 pessoas

Cláudio Liza, especial para o ‘Estadão’, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2020 | 22h06

CAMPINAS – A convenção do PP de Campinas realizada nesta quarta-feira, 16, registrou confusão após cerca de 40 filiados terem o acesso barrado. O grupo é contrário à aliança com a chapa do deputado estadual Rafa Zimbaldi (PL) à prefeitura, e chamou a Polícia Militar para prestar queixa. “Também não nos deram acesso à plataforma da internet”, disse o pré- candidato a vereador Lucas Trevizan.

Eles defendem apoio ao candidato Artur Orsi (PSD). Foi a segunda convenção da sigla, após liminar reincorporar dois membros. O presidente do PP, Márcio Chaib, disse que só integrantes da executiva podem votar, por isso a sala era para 20 pessoas. 

A aliança com o PL foi mantida, mas vereadores poderão apoiar outra chapa. Já o senador Major Olímpio (PSL), que iniciou campanha para Zimbaldi, contrariando o seu próprio partido na cidade, retirou o apoio após o PSDB entrar na coligação.

Em vídeo, ele diz que o apoio tucano ao deputado estadual teve as bênçãos do governador João Doria, a quem faz oposição, acusando de enfraquecer a segurança no Estado. O PSL campineiro se aliou ao ex-secretário de Esportes Dário Saadi (Republicanos). Zimbaldi disse que respeita a opinião de Olímpio. O PSDB  indicou  a vice, Anna Beatriz, mulher do deputado federal Carlos Sampaio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.