Contra poluição de carros, Maluf quer 'freeway' nas marginais

Marta ressaltou importância de investimento no transporte público para que a população 'deixe o carro em casa'

31 Julho 2008 | 22h16

O ex-prefeito de São Paulo e candidato à Prefeitura Paulo Maluf (PP) propôs nesta quinta-feira, 31, em debate na Rede Bandeirantes, a construção de uma freeway, vias a serem construídas em cima dos rios Tietê e Pinheiros, para resolver o problema da poluição em São Paulo. "Será a obra da minha vida", disse. Segundo ele, a redução da velocidade dos veículos por conta do trânsito contribui para a poluição na cidade.   "No meu tempo, velocidade média do transporte coletivo era 20 km/h hoje é 11 km h. Ou seja, ônibus que está em ponto morto mas está ligado, esta poluindo. Precisamos melhorar o transporte coletivo e a velocidade", afirmou.   O atual prefeito Gilberto Kassab (DEM) falou da marca de usa administração, o Cidade Limpa. "Combatemos de maneira muito firme a poluição visual. Nossa administração fez nesses quatro anos o que não foi feito nos últimos 30 anos", afirmou.   Veja também: Fórum: Na sua opinião, quem se saiu melhor no debate? Kassab provoca Marta e desafia: 'Quem criou mais taxas'? 'Educação na gestão Alckmin foi pior que a do Piauí', diz Maluf Marta prega 'união' com Serra e Kassab se diz parceiro de Lula Kassab fala sobre 'fichas-sujas' e se defende de acusações Sem citar Marta, Kassab diz que 'faz corredor como se deve' Conheça os candidatos nas principais capitais  Calendário eleitoral das eleições deste ano  Especial tira dúvidas do eleitor   Veja as regras para as eleições municipais   A ex-prefeita Marta Suplicy (PT) disse que é importante investir em transporte coletivo para "deixar o carro em casa". "Mas também a coleta seletiva da cidade, que acaba poluindo muito, que foi interrompida pela atual gestão. Teremos o maior plantio dessa cidade, da atual que diz que fez 100 parques, mas saiu na verdade 10.   O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, lembrou que a poluição já é a quarta causa de morte em São Paulo e defendeu o investimento do carro a álcool. "Hoje carro flex é carro a álcool, estamos poluindo menos".   Também ressaltou suas realizações como governador do Estado e apresentou algumas alternativas para o problema." Investi no transporte coletivo, no verde, mas principalmente diminuir o monóxido de carbono. Quero corredores mais rápidos, metrô entregue e ciclovias", disse.   O candidato Renato Reichmann (PMN) disse que toda ação tem que ter três vetores e que a poluição é questão de saúde pública, o que acaba aumentado gastos públicos "em todos os sentidos". Para Ciro Moura (PTC), o paulistano vive a cada dia um "dia pior".   Ivan Valente, do PSOL, criticou candidatos que ofereçam a eleitores soluções para o trânsito em pouco tempo. "70% é do fluxo de automóveis. Lógico que temos que inverter a matriz, atacar a indústria automobilística, queremos transporte público sob trilhos de massa, transporte alternativo e dizer que ele precisa ser mudado, quem não fizer isso vai ter que dizer de onde saiu o dinheiro", afirmou.   Para a candidata Soninha (PPS), é preciso reduzir gases do efeito estuda. "Crédito doido para comprar automóveis, como disse o Ivan, temos que investir no transporte coletivo, como citou Alckmin. Inspeção veicular, como disse o Kassab. Como a Marta lembrou, emissões temos que capturar o que foi emitido".

Mais conteúdo sobre:
Eleições 2008debate

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.