Contra loteamento, órgão promete 'concurso interno'

Com o argumento de blindar seus cargos de comando contra o loteamento político, o Dnit criará uma espécie de concurso interno para a nomeação de superintendentes regionais, coordenadores-gerais e outros cargos. Na quinta-feira, o Conselho de Administração da autarquia analisará proposta de resolução com as regras do processo seletivo. Trata-se de uma espécie de regulamentação da portaria, publicada em dezembro, que restringe os altos cargos de confiança aos funcionários de carreira.

O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2012 | 03h06

O Estado teve acesso à minuta do texto, que prevê a publicação de um edital com as regras de cada concurso e o perfil do servidor almejado para o cargo. Os candidatos terão de preencher uma ficha de inscrição.

Vão ser pontuados conforme critérios como a adequação ao perfil e a experiência na área de atuação. Após o "funil", os nomes dos três melhores classificados serão encaminhados à Diretoria Colegiada do Dnit, que indicará o ocupante da vaga.

As regras propostas, que ainda podem sofrer alterações, cumprem determinação da presidente Dilma Rousseff ao novo diretor-geral do Dnit, coronel Jorge Ernesto Pinto Fraxe, de evitar a ingerência política na autarquia.

A atual cúpula do órgão tenta resistir a pressões políticas. Recentemente, barrou uma nomeação do senador Delcídio Amaral (PT-MS) para a superintendência em Mato Grosso do Sul. / F.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.