Condenados recebem afagos; Kassab é vaiado

Os petistas condenados no julgamento do mensalão apareceram na festa petista, foram saudados pela militância, mas ignorados pela direção partidária, que evitou qualquer ato de desagravo.

O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2013 | 02h05

Nove presidentes ou representantes de partidos aliados também foram ao encontro, entre os quais o ex-prefeito Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, que foi vaiado pela militância.

José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e os deputados José Genoino (SP) e João Paulo Cunha (SP) - os três condenados por corrupção, entre outros crimes, no julgamento do Supremo Tribunal Federal encerrado no final do ano passado - foram recebidos de maneira entusiasmada no hotel da zona norte paulistana onde a festa foi realizada. Genoino tirava fotos com militantes, enquanto Dirceu era abraçado por dirigentes petistas. Os dois foram até beijados por petistas entusiasmados. Os condenados, contudo, não ficaram no palco, destinado aos governadores, ao presidente do PT, Rui Falcão, ao prefeito Fernando Haddad, a Lula e à presidente Dilma Rousseff.

Também não tiveram os nomes mencionados nos discursos, nem de maneira indireta.

Velado. Com o convite, o PT quis manifestar algum apoio aos envolvidos no mensalão, mas evitou colocar os condenados no palco, principalmente para evitar polêmica com uma eventual imagem de Dilma ao lado de Dirceu. Os três sentaram na plateia.

Além dos condenados no mensalão, estavam também no evento Professor Luizinho, que foi denunciado no processo e acabou absolvido, o ator Zé de Abreu, o sociólogo Emir Sader e o escritor Fernando Morais.

Presidentes dos partidos que apoiam o governo no Congresso também fizeram discursos em que elogiaram Lula e Dilma, entre os quais os ex-ministros Alfredo Nascimento (PR) e Carlos Lupi (PDT), demitidos pela presidente após denúncias de irregularidades em 2011.

Quem também discursou foi Daniel Tourinho (PTC), Eduardo Lopes (PRB), Renato Rabelo (PCdoB), Roberto Amaral (PSB), Robson Amaral (PTN) e Valdir Raupp (PMDB), além de Kassab. "Nossa gratidão por esses dez anos do PT no governo, que é um governo só", afirmou o ex-prefeito de São Paulo, sob gritos de "Fora, Kassab".

O vice-presidente Michel Temer (PMDB), no entanto, não compareceu ao encontro. Temer atua nos bastidores para manter a vice na chapa de Dilma à reeleição em 2014. / F.G. e J.D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.