Comitês recorrem a cabos eleitorais de cidades vizinhas

PT e PSDB têm ajuda de diretórios municipais

O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2012 | 03h05

Com as baterias voltadas para a disputa na capital paulista, PT e PSDB estão recorrendo a militantes de cidades vizinhas para conseguir votos para Fernando Haddad e José Serra no 2.º turno.

A campanha tucana pediu ontem que prefeitos e vereadores eleitos em cidades do interior, do litoral e da região metropolitana façam propaganda de Serra para eleitores que têm parentes na capital. Sugeriram também que peçam voto nas praias no fim de semana, quando há paulistanos nas cidades costeiras.

Já os petistas passaram a mobilizar as estruturas de candidatos do partido na Grande São Paulo, principalmente nos limites entre a capital e outras cidades.

De Osasco, a campanha de Haddad recebeu o apoio de cabos eleitorais e carros de som que participaram da campanha de Jorge Lapas (PT).

O petista venceu no 1.º turno e teve a vitória reconhecida depois que a Justiça Eleitoral cassou a candidatura de Celso Giglio (PSDB). Sem uma segunda rodada da disputa, a estrutura de campanha de Lapas está mobilizada para pedir votos para Haddad no limite entre as cidades.

Ainda no 1.º turno, Haddad e Lapas fizeram ato conjunto no Jardim D'Abril, zona oeste. Lá, o caminhão de som pago pela campanha de Lapas alternava os jingles dos dois políticos.

Em Guarulhos, a ida de Sebastião Almeida (PT) ao 2.º turno contra Carlos Roberto (PSDB) prejudica a cessão de equipes para pedir votos para Haddad, mas a ordem, mesmo assim, é lembrar os moradores da cidade que votam na capital paulista a digitar "13" nas urnas.

No último domingo, Almeida fez campanha na Vila Galvão, próximo ao limite com São Paulo, e também pediu votos para Haddad. "Nessas áreas sempre tem gente de uma cidade que vota em outra, e costumamos citar o nome de Haddad", diz o deputado estadual Alencar Santana (PT), da equipe de Almeida.

A equipe de Serra pretende divulgar em outras cidades do Estado as realizações do tucano quando esteve no governo do Estado. O objetivo é destacar a experiência de Serra.

Equipes do PSDB e de partidos aliados também farão campanha em estações de trem e terminais rodoviários, nas portas de ônibus que viajam para São Paulo.

"Todo mundo tem um contato, um amigo ou parente que vota em São Paulo", diz Edson Aparecido, coordenador da campanha de Serra. / B.L. e B.B.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012HaddadSerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.