Roberto Stuckert Filho/Divulgação
Roberto Stuckert Filho/Divulgação

Comitê de presidente não prevê agenda de campanha até dia 19

Em decisão tomada anteontem, o comitê da reeleição vai blindar a presidente Dilma Rousseff da campanha de rua pelo menos até o próximo dia 19. A estratégia consiste em aproveitar a extensa agenda de compromissos que Dilma terá com vários presidentes, na semana que vem, para vender a imagem de "estadista que cuida do País".

O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2014 | 02h03

Ficou acertado que a presidente vai investir nas redes sociais e também em entrevistas para emissoras de TV do Brasil e do exterior. O confronto com a oposição será feito pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, principal cabo eleitoral de Dilma, e também por ministros.

A campanha do PT quer aproveitar a próxima semana, quando ela receberá 21 chefes de Estado, para vestir na presidente o figurino de estadista. Além de participar da reunião dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), Dilma vai se encontrar com os 12 presidentes da Unasul, com o quarteto diretor da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) e com os presidentes do México, Henrique Peña Nieto; da China, Xi Jinping, e da Comunidade Europeia, José Manuel Durão Barroso. "Diferentemente da campanha passada, em que era só candidata, Dilma agora é presidente e candidata. É vital que ela continue a dirigir o País", disse o presidente do PT, Rui Falcão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.