Comissão Nacional da Verdade integra ação com estaduais

A Comissão Nacional da Verdade reuniu-se nessa segunda-feira, 30, com representantes de 26 comissões estaduais e municipais para melhorar a integração com elas. As comissões estaduais se queixavam da falta de interlocução com o grupo nacional.

Fernando Gallo, O Estado de S.Paulo

01 de outubro de 2013 | 02h12

Na reunião ficou decidida a criação de uma rede online privada por meio da qual os grupos poderão trocar documentos e informações. Além disso, a comissão nacional se colocou à disposição para convocar a depor pessoas que se neguem a comparecer às comissões estaduais, já que só a nacional tem a prerrogativa legal de convocação.

Nessa segunda mesmo a CNV assinou quatro convocações a pedido de grupos estaduais. Também ficou acertado que estas terão até o dia 3 de fevereiro para enviar suas contribuições para o relatório final que a CNV produzirá sobre as violações a direitos humanos no Brasil entre 1946 e 1988.

Os integrantes da comissão nacional também ouviram ontem relatos a respeito de prisões em massa após o golpe militar de 1964 em locais como o navio Raul Soares, em Santos (SP) e no estádio Caio Martins, em Niterói (RJ). No domingo, membros da CNV se reuniram com familiares de mortos e desaparecidos na ditadura militar de 1964, que ajudaram a comissão a identificar acervos e deram orientações de como buscar informações relativas aos crimes e às vítimas.

No próximo dia 7, a comissão nacional fará audiência pública em Ipatinga (MG) sobre os 50 anos do massacre ocorrido nas instalações da Usiminas no local. Oficialmente, oito pessoas morreram, mas acredita-se que o número é maior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.