Reprodução/Eduardo Suplicy
Reprodução/Eduardo Suplicy

Suplicy aprova Alckmin vice de Lula: 'É uma pessoa de bom senso'

Vereador petista encontrou ex-governador neste domingo para apresentar proposta de renda básica de cidadania

Daniel Reis, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2021 | 05h00
Atualizado 27 de dezembro de 2021 | 11h51

O vereador Eduardo Suplicy (PT) se reuniu com o ex-governador Geraldo Alckmin (sem partido) na tarde deste domingo, 26. No encontro, Suplicy apresentou ao ex-governador tucano sua proposta de renda básica de cidadania. Ao Estadão, o vereador petistas avaliou como positiva e disse ser favorável à dobradinha entre Alckmin e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa presidencial do ano que vem. O PT e Lula articulam para que  o ex-governador seja candidato à vice-presidência na chapa. 

“São muitos os fatores a serem considerados, mas eu vejo com bons olhos que ele possa sim ser o candidato a vice-presidente do presidente Lula. Acho que ele, de alguma forma, pode ampliar o quadro de apoio ao presidente Lula”, disse Suplicy.

Apesar de se mostrar contente com a aliança, o vereador relembrou que foi crítico às gestões do ex-tucano no governo do Estado, de 2001 a 2006 e de 2011 a 2018. “Ele é uma pessoa de bom senso. Cometeu erros, também. Nós fomos muito críticos, especialmente na violência policial contra os professores. Mas avalio que ele pode dar uma contribuição e ter um diálogo muito construtivo e positivo com o presidente Lula.”

Bem posicionado nas pesquisas, Alckmin deverá ficar de fora da disputa pelo Palácio dos Bandeirantes. A candidatura à vice-presidência ganhou força nos últimos dias. O PSB, possível destino do ex-governador, deverá lançar o também ex-governador Márcio França.

Com isso, o cenário da corrida eleitoral estadual  ainda vive um impasse entre PT e PSB. França e Fernando Haddad (PT) pretendem disputar o mesmo cargo no Executivo paulista. Suplicy afirmou que Alckmin não vê barreiras para o petista sair candidato ao governo do Estado. “Parece que ele vê com bons olhos. Não mencionou nenhuma restrição para que o Fernando Haddad possa ser o candidato a governador.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.