Com fim dos Jogos, campanhas só vão agora às ruas do Rio

A uma semana do 1º turno, candidatos a prefeito buscam votos em pontos de grande aglomeração da cidade

Roberta Pennafort e Sergio Torres, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2016 | 05h00

RIO - A oito dias das eleições municipais, o centro do Rio, que concentra edifícios comerciais e empresariais e repartições públicas, é encarado pelos candidatos a prefeito como um dos principais espaços de disputa por eleitores. Nesta reta final, candidatos à sucessão de Eduardo Paes (PMDB) percorrem os pontos de grande aglomeração da região, como a Praça Mauá, a Avenida Rio Branco, o Largo da Carioca, a Cinelândia e o centro de comércio popular do Saara.

Iniciada em 16 de agosto, no meio da Olimpíada, a corrida eleitoral manteve-se morna até o fim da Paralimpíada, no domingo, 18.

No fim da tarde desta sexta-feira, 23, Carlos Osorio (PSDB) esteve na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), na Rua Araújo Porto Alegre, perto da Cinelândia, para uma sabatina. Mais cedo, às 11h30, acompanhado de seis candidatos a vereador e apoiadores, Marcelo Freixo (PSOL) caminhou da Praça Mauá ao Buraco do Lume. “É uma campanha de 30 dias, e essa próxima semana será decisiva. Temos uma militância muito forte, um índice muito baixo de rejeição. Historicamente, o PSOL tem mais votos do que as pesquisas dizem”, disse Freixo.

Ele aparece em segundo lugar no mais recente Ibope, com 9% das intenções de voto, empatado tecnicamente com o peemedebista Pedro Paulo (9%), a deputada federal do PCdoB Jandira Feghali (8%) e o deputado estadual do PSC Flávio Bolsonaro (7%). O senador Marcelo Crivella (PRB), com 31%, lidera.

Almoço. O horário preferido dos candidatos é entre o fim da manhã e o meio da tarde, quando as ruas lotam de pessoas que saíram do trabalho para almoçar. No fim do expediente, também se veem cabos eleitorais.

No último dia 14, Crivella preferiu o período da manhã para um corpo a corpo no Saara e na Rua Uruguaiana. No dia 16, Alessandro Molon (Rede) caminhou no entorno da Associação Comercial do Rio, perto da Candelária. Na segunda-feira, 19, Pedro Paulo passou pela zona portuária, num encontro com pequenos empresários, e falou com a população.

Nos atos os candidatos apresentam apoios que consideram importantes para atrair eleitores. Jandira Feghali andou do Largo da Carioca à Cinelândia na companhia da presidente cassada Dilma Rousseff. Flávio Bolsonaro costuma circular pelo Largo da Carioca e pelo Saara ao lado do pai, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.