Com disputa acirrada, Delcídio e  Azambuja votam no MS

Enquanto o petista se disse confiante na vitória, tucano avaliou como "suspeita" a internação do doleiro Alberto Youssef

José Maria Tomazela e Lucia Morel*, * Especial para o Estado

26 de outubro de 2014 | 12h19

 Os dois candidatos ao governo do Mato Grosso do Sul, Delcídio do Amaral, do PT, e Reinaldo Azambuja, votaram na manhã deste domingo em Campo Grande. Enquanto o petista se disse confiante em sua vitória e na da presidente Dilma Rousseff na eleição presidencial, o tucano avaliou como “suspeita” a internação do doleiro Alberto Youssef, delator do esquema de corrupção da Petrobrás. A última pesquisa divulgada pelo Ibope aponta os dois candidatos tecnicamente empatados. Delcídio tem 51% dos votos e Azambuja, 49%.

 Delcídio aproveitou a manhã do dia de votação para fazer campanha no Bairro Moreninha, na periferia de Campo Grande. Ele percorreu zonas eleitorais e conversou com eleitores. "É um dia importante e estou confiante na minha vitória e na da presidente Dilma. Tem tudo para ser uma bonita eleição no Brasil todo." 

Azambuja levantou suspeitas sobre a internação de Youssef. "Aí tem algo escuso. É muito suspeita a internação dele sem nenhuma explicação ao povo brasileiro, depois de fazer mais uma grave denúncia contra a presidente Dilma e o ex-presidente Lula. Como eu conheço o modus operandi do PT, fico muito preocupado", disse, após votar numa escola de Campo Grande.

Youssef teve uma queda de pressão arterial ontem em Curitiba e deve ter alta em dois dias, segundo a PF, que desmentiu boatos de que o doleiro teria sido envenenado.

Azambuja ainda acusou Delcídio de espalhar panfletos apócrifos contra ele. O rival do tucano negou as acusações. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.