Jonas Oliveira
Jonas Oliveira

Com apoio de Beto Richa, governadora do Paraná é confirmada à reeleição

Cida Borghetti (PP) tem nove partidos confirmados em sua chapa, o que deve dar a ela o maior tempo de TV entre os candidatos ao governo do Estado, com mais de cinco minutos

Katna Baran, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2018 | 20h54

Com o apoio do ex-governador Beto Richa (PSDB), a atual governadora do Paraná Cida Borghetti (PP) foi confirmada em convenção do seu partido, neste sábado, 4, como candidata à reeleição. Apesar do anúncio dos nomes dos candidatos ao Senado que farão parte da chapa – incluindo Richa – Cida vai deixar para o último momento a escolha de vice.

O fechamento do acordo entre Richa e Cida, que foi vice do tucano, ocorreu nesta sexta-feira, 3, segundo o marido dela e seu articulador da campanha, deputado federal Ricardo Barros (PP). “Construímos a maior aliança, com maior tempo de TV, uma chapa muito forte de novas lideranças que querem se apresentar ao Paraná, assim como Cida”, disse o parlamentar.

Até então, Cida tem nove partidos confirmados em sua chapa, o que deve dar a ela mais de cinco minutos de propaganda eleitoral nos veículos de comunicação. Ruídos na conversação com o PSDB quase fizeram com que ela perdesse outras legendas da chapa. Fiés à Richa, PSB e DEM ameaçavam desembarcar da coligação caso o acordo com os tucanos não fosse fechado.

“Entre idas e vindas, muitas conversas, negociações, foi celebrada a aliança, que sai forte para a eleição, com partidos importantes que vão garantir bom tempo e espaço na televisão”, disse Richa. Na semana passada, Barros declarou que não havia espaço para o PSDB na coligação, depois que Richa supostamente tentou rifar a candidatura de Alex Canziani (PTB) ao Senado na mesma chapa. Para o tucano, as turbulências “poderiam ter sido evitadas”.

À imprensa, Barros não perdeu a oportunidade de cutucar o tucano, afirmando que a esposa terá de diferente da gestão Richa um governo aberto e de combate à corrupção. Recentemente, o tucano foi bombardeado por investigações envolvendo sua gestão à frente do governo do Estado, o qual deixou em abril para disputar a vaga no Senado.

Ao chegar ao evento, Cida Borghetti declarou que sua proposta é manter uma “gestão eficiente, com o gabinete do governo de postas abertas, um governo ágil, que atenda os 399 municípios do Paraná”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.