Wilton Junior/ Estadão
Wilton Junior/ Estadão

Collor alega falta de unidade e desiste da corrida ao governo de Alagoas

Ex-presidente alega falta de grupo político para disputar a eleição; no Estado, Renan Filho (MDB) lidera as pesquisas de intenção de voto

Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

14 Setembro 2018 | 23h56

O senador Fernando Collor de Mello (PTC) desistiu nesta sexta-feira, 14, da corrida ao governo de Alagoas. O ex-presidente alegou falta de unidade ao grupo político que indicou a candidatura dele. Na mais recente pesquisa do Ibope, datada de agosto, ele aparecia com 22%, atrás do atual governador, Renan Filho (MDB), que tinha 46%.

Em vídeo publicado no Instagram, Collor disse que foi procurado por um grupo de oposição a Renan Filho para ser candidato e que aceitou o pedido percebendo a coesão da aliança.

"Todos sabem do meu destemor, cumpro minha palavra, mas peço reciprocidade. Na ausência dela, perde sentido a missão a mim atribuída. Sem unidade, perde a candidatura o seu significado de existência", afirmou.

A aliança de Collor é composta do PSDB do vice Kelmann Vieira e dos partidos PP, PSB, PSC, PROS, PRB e DEM. O grupo ainda não indicou o substituto do ex-presidente na chapa.

O acerto de Collor com o PSDB foi lembrado durante entrevista do presidenciável tucano, Geraldo Alckmin, ao Jornal Nacional, em 29 de agosto. A âncora do telejornal da Globo, Renata Vasconcellos, afirmou que o partido do ex-presidente apoiava o ex-governador paulista. Alckmin rebateu.

"O PTC não me apoia. Ele apoia outro candidato. Não está na minha coligação", respondeu o tucano na ocasião. No plano nacional, o PTC apoia o candidato Alvaro Dias (Podemos).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.